Câmara fica sem secretario

A primeira sessão remota da história da Câmara Municipal de Marília começou com um impasse.

Nenhum dos vereadores quis ocupar o cargo de 4º secretário , que acabou sendo declarado vago pelo presidente Marcos Rezende (PSB)

Podemos explicar assim a situação:

Os vereadores: Marcos Custódio(PSC), Maurício Roberto (PP) e Mario Coraini Júnior (PTB) não poderiam concorrerem por serem advogados atuantes.

Luiz Eduardo Nardi (PR), Delegado Damasceno (PSDB) abriram mão de serem votados.

Cicero do Ceasa (PL) 1º vice-presidente, Professora Daniela (PR) 3ª secretaria, João do Bar (PP) 2º secretário, Evandro Galete (PSDB) 1º secretário e Danilo da Saúde (PSB) 2º vice-presidente, não poderiam concorrer pelo fato dos cargos não serem acumulativo.

José Luiz Queiros e o vereador Albuquerque, ambos do PSDB, já haviam renunciado ao cargo de 4º secretário, então diante desse cenário não sobrou alternativa a não ser declarar o cargo vago, e em caso de necessidade o presidente da Câmara indicara alguém para exercício da função.

AS VOTAÇÕES

O primeiro projeto de lei, aprovado contra quatro votos, transfere para a Secretaria Municipal da Fazenda a Divisão de Fiscalização de Obras, Divisão de Publicidade, Divisão de Mercados, Feiras e Fiscalização e Divisão de Fiscalização de Posturas, Meio Ambiente e Limpeza Pública, Divisão de Fiscalização de Serviços Conveniados e Divisão do Meio Ambiente, extinguindo e transformando funções na Secretaria Municipal de Planejamento Urbano, transformando os cargos de fiscal de obras e fiscal de posturas. O objetivo da matéria é padronizar e facilitar o atendimento ao cidadão.

A segunda proposição da ordem do dia, também ratificada – contra um voto -, autoriza a Prefeitura de Marília a se associar e a contribuir para com a Amitesp (Associação das Prefeituras dos Municípios de Interesse Turístico do Estado de São Paulo).

E a terceira e última proposição autoriza o município a celebrar instrumento de autorização de uso da faixa de domínio com a Rumo Malha Paulista S.A., para paralelismo em nível de ciclovia.

POR : FERNANDO ANDRADE (INFORMAÇÕES DO JORNAL DA MANHÃ)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *