Carlos Ghosn continuará preso após novo mandado de prisão

Promotores emitiram um novo mandado de prisão contra o ex-presidente do conselho de administração da Nissan. Carlos Ghosn foi preso novamente sob alegação de quebra de confiança. A prisão acontece em meio à expectativa de muitos de que ele seria solto sob fiança. Agora, ele deve continuar em centro de detenção.

Na sexta-feira, os promotores alegaram que Ghosn transferiu à Nissan um prejuízo de seu investimento pessoal, no valor superior a 16 milhões de dólares, decorrente da crise financeira de 2008.

Aparentemente, um órgão japonês que supervisiona o mercado de valores mobiliários sabia da transação na época, e questionou sua legalidade. Fontes afirmam que ele vem negando ter efetuado tal operação.

Os promotores suspeitam também que ele fez com que uma subsidiária da Nissan transferisse aproximadamente 15 milhões de dólares na conta de uma pessoa, que ajudou no esquema.

Ghosn está em um centro de detenção em Tóquio, junto com seu assessor próximo, Greg Kelly, há quase um mês, depois que eles foram presos. Eles estão sendo indiciados por alegada conspiração para declarar um valor inferior em relação à remuneração de Ghosn em dezenas de milhões de dólares em um período de 5 anos, a partir de 2010. Os dois teriam negado a acusação.

Advogados de Ghosn estavam se preparando para solicitar sua soltura sob pagamento de fiança, depois que um tribunal rejeitou a proposta de promotores para mantê-lo preso por mais 10 dias. Contudo, eles não poderão prosseguir com o ato após a nova detenção de Ghosn.

FONTE : NHK PORTUGUÊS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *