Diretoria do Sindimmar entra na Justiça para garantir o reajuste salarial aos mais de 5 mil servidores de Marília

A Diretoria do Sindimmar informou que entrou com ação na Justiça para obter o reajuste salarial dos mais de cinco mil servidores da ativa e quase dois mil servidores aposentados. Conforme garantiu o presidente da entidade sindical, José Paulino, como o Plano de Carreira e a correção salarial por exigência da data-base, vencida em 1º de abril último, não foram votados pela Câmara Municipal, a única alternativa que restou aos trabalhadores municipais foi a judicialização da causa. “Estávamos abertos ao diálogo, procuramos a administração por diversas vezes, estabelecemos o canal de conversa com o governo municipal, protocolamos pedidos de audiência com o chefe do Executivo, mas nada disso foi suficiente para mostrar a importância da nossa data-base e o reajuste no tempo certo. Agora, que a legislação eleitoral entrou em vigor, os servidores não podem ser prejudicados pela falta de ação deste governo e pela falta de responsabilidade de alguns vereadores”, analisou o presidente do sindicato.

José Paulino lembrou que o Plano de Carreira dos servidores poderia ter sido votado em 23 de março, durante sessão ordinária, mas isso não aconteceu. Depois, mesmo com a convocação de uma sessão extraordinária, não houve quórum suficiente para sua realização e, logo em seguida, a Câmara entrou numa crise institucional e o plenário se dividiu. “Quem está sofrendo com tudo isso é justamente nós servidores, que não tivemos, mais uma vez, o direito a um Plano de Carreira.

Também ficamos sem a votação de nosso reajuste, a recomposição acima da inflação conforme estávamos reivindicando”, salientou. Diante da situação, que afeta mais de sete mil trabalhadores, entre os da ativa e aposentados, a Diretoria elaborou a ação judicial, já impetrada na Justiça. “Vamos brigar na Justiça para que possamos ter assegurado o direito da nossa data-base, ou seja, a garantia do nosso reajuste”, disse o presidente Zé Paulino. A Diretoria informou que a entidade continua com o debate para o aperfeiçoamento do Plano de Carreira, para que não seja aprovado com distorções e equívocos que foram identificados no curto espaço de análise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *