Há 12 anos, Guilherme Alves estreava como técnico

No dia 19 de julho de 2008, o ex-atacante Guilherme estreava na carreira de técnico, dirigindo o time B do Marília Atlético Clube (MAC) na Copa Paulista. A primeira partida foi diante do Mirassol, fora de casa e o Alviceleste perdeu pelo placar de 3 a 0. Nesta competição foram apenas seis jogos sob seu comando e nenhuma vitória (três empates e três derrotas).

Guilherme Alves, de 46 anos, encerrou a carreira de atleta em 2006 no Botafogo-RJ e na temporada seguinte foi ao MAC, clube onde foi revelado como jogador, para pedir estágio em sua nova empreitada.

“Falei com o ‘Cai Cai’ (Luiz Antônio Duarte Ferreira, gestor maqueano) e comecei a acompanhar os trabalhos do Paulo Comelli (técnico) no Brasileiro da Série B e quando ele foi demitido o Jorge Rauli assumiu e me chamou para ser seu auxiliar”, lembrou.

Em 2008 seguiu como auxiliar de Rauli, que anos depois seria seu assistente técnico, e após a demissão e a chegada do treinador Ruy Scarpino, Guilherme foi deslocado para trabalhar com o time B na Copa Paulista.

“Era uma equipe de laboratório. Não havia o objetivo de resultado, mas sim de descobrir novos jogadores. Nessa época vinham atletas de vários lugares para realizar testes para o time B. Lembro que o zagueiro Flávio Boaventura (hoje no Sampaio Corrêa-MA) apareceu nessas avaliações, tanto que chegou a ser aproveitado na equipe principal do Marília, que disputou o Brasileiro da Série B”, destacou.

Antes de deixar o MAC em 2008, Guilherme Alves foi técnico da equipe principal por um jogo, no Brasileiro da Série B. No dia 2 de setembro, o Alviceleste venceu o Juventude-RS por 1 a 0, no estádio Bento de Abreu. No dia seguinte, a diretoria anunciou a chegada do treinador Búfalo Gil. “Fui auxiliar dele por alguns jogos, mas sai antes do rebaixamento, porque a filosofia de trabalho não era a que eu buscava”, frisou.

Estágios e início em 2011 – Após a saída do MAC em 2008, Guilherme Alves realizou uma série de estágios com treinadores renomados como: Muricy Ramalho, Alexandre Gallo, Vagner Mancini e Vanderlei Luxemburgo.

Em 2011, iniciou de fato a carreira como técnico e seu primeiro clube foi o Ipatinga-MG, nas rodadas finais do Campeonato Mineiro. Ao lado do auxiliar Jorge Rauli, Guilherme não conseguiu salvar a equipe do rebaixamento.

A volta ao MAC aconteceu em 2012, no dia 24 de junho. Ele foi contratado para a vaga de Betinho, que havia estreado no Brasileiro da Série D, sendo goleado pelo Cianorte-PR, fora de casa, pelo placar de 6 a 0. Mesmo nas mãos de Guilherme, o Marília não passou da 1ª fase, assim como na Copa Paulista. Foram 14 jogos sob seu comando com: três vitórias, cinco empates e seis derrotas.

Mesmo sem resultados expressivos, Guilherme Alves permaneceu e com a empresa Sprimg Sport assumindo a gestão do clube, o treinador fez seu primeiro trabalho de destaque na carreira. Pela primeira vez, não pegou um time em andamento e realizando a montagem do elenco, o Alviceleste conquistou o acesso no Paulista da Série A-3, mas sob o comando de Luís dos Reis.

No estadual de 2013, Guilherme conseguiu bons resultados e chegou a liderar o campeonato por várias rodadas. Porém, nos últimos cinco jogos não alcançou nenhuma vitória e após a derrota para o Palmeiras B (2 a 1) no Abreuzão, pediu demissão. Foram 15 partidas com: seis vitórias, cinco empates e quatro derrotas.

Acessos pelo Novorizontino – Depois de deixar o Marília, Guilherme Alves foi contratado pelo Grêmio Novorizontino para a disputa do Campeonato Paulista da Série A-3. O treinador levou praticamente a base maqueana da temporada passada e além do acesso, terminou como campeão do estadual.

Mantido para a Série A-2 de 2015, novamente subiu o clube de divisão, que não disputava a elite do Paulista há duas décadas. Na Série A-1 de 2016 não passou da 1ª fase, mas foi até a última rodada com chances matemáticas.

Após o Paulistão, Guilherme encerrou seu ciclo de três temporadas pelo Novorizontino. No segundo semestre de 2016 foi contratado pelo Vila Nova-GO, que estava perto das zona do rebaixamento no Brasileiro da Série B. Com uma reformulação no elenco, mesmo com a competição em andamento, o técnico melhorou os resultados e em determinado momento chegou a brigar pelo acesso. Contudo, a equipe goiana acabou na 12ª colocação.

Nos anos seguintes, o mariliense não teve trabalhos de destaques, mas chegou a comandar o Linense (Paulistão 2017), a Portuguesa (Série A-2 2018) e o Paysandu-PA (Série B 2018). Guilherme Alves voltou ao MAC em 2020, após a demissão do técnico Júlio Sérgio na 3ª rodada da Série A-3. Atualmente o time está na vice-lanterna, mas com a paralisação por conta da pandemia, o elenco foi praticamente reformulado para as últimas quatro rodadas, que ainda não possuem data para acontecer.

Nas três passagens pelo Marília, Guilherme já acumula 44 jogos com: 12 vitórias, 17 empates e 15 derrotas (40,1% de aproveitamento).

Ficha técnica do 1º jogo de Guilherme:

Mirassol 3×0 Marília “B”

Competição: Copa Paulista

Data: 19/07/2008

Local: Estádio José Maria de Campos

Público: 56 pagantes

Renda: R$ 365,00

Árbitro: Eleandro Pedro da Silva

Gols: João Gabriel “11/1T”, Paraíba “26/1T” e Marlon “45/2T”

Mirassol – André; Alan, Cléber, João Carlos e Marcinho; Ricardo (Bruno), Luís Mário, João Gabriel e Uelisson (Felipe); Paraíba (Rodrigo) e Marlon. Técnico: Xande Marques.

Marília – Rafael Sandes; Chiquinho, Flávio Boaventura (Cauã), Fabiano (Maranhão) e Douglinha (Diego); João Marcos, Alan Mota, Halisson e Bruno Farias; Betinho e Geovane (Sérgio Junior). Técnico: Guilherme Alves.

FONTE : JORNAL DA MANHÃ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *