II Grand Prix de Soroban BR reúne praticantes de várias partes do Estado

Este 2º Grand Prix de Soroban contou com a participação de um maior número de alunos nas categorias de menor idade e alunos iniciantes entre 4 a 10 anos. A crescente participação de novos alunos é um reflexo do sucesso da primeira edição do Grand Prix”, comemorou a diretora Claudia Miyuki Y. F. Hamasaki da HeiSei Soroban Academy e Escola HeiSei, que organizou o evento em parceria com outras sete escolas de soroban (Colégio Oshiman, Número Amigo Academia de Soroban, Okinawa Gakuen, Yamamoto Juku, Ikeda Soroban Juku, Pocket Idioma & Cursos e Curso Santista de Soroban). A presença voluntária de ex-alunos na organização e execução do evento “comprova o grande valor que o soroban tem em suas vidas”, completou a diretora Claudia Miyuki.
A competição reuniu cerca de 90 competidores e foi realizada no último domingo, 26, das 9 às 13h00, na sede da Associação Cultural e Assistencial Mie Kenjin do Brasil, no bairro da Vila Mariana.

Ryuju Okada com troféu (Osmar Maeda)
Ryuju Okada com troféu (Osmar Maeda)

O garotinho Ryuju Okada, de apenas nove anos, bicampeão brasileiro (2018 e 2019) e vencedor do I GP de Soroban BR venceu nas categorias prova de Ditado Calculo Mental, Fundamental I (8 a 10 anos) e na prova de Flash Anzan, categoria Fundamental I (8 a 10 anos).

Naho Asai venceu na categoria Infantil (4 e 5 anos); Julia Iwaki Kamaura na categoria 1º Ano (6 anos); Matheus Harada Muraishi na categoria 2º Ano (7 anos); Julia Mika Fukugauti Ohashi na categoria “iniciantes do Fund I” (8 a 10 anos); Ryuju Okada na categoria Fundamental I (8 a 10 anos); Rafael Yugo Hashimoto na categoria Fundamental II (11 a 14 anos); Eduardo Murayama na categoria Ensino Médio/Adulto (acima de 15 anos).  Rafael Ryu Konishi, venceu na prova de Ditado com Soroban na categoria Fundamental I (8 a 10 anos) e Heidi Kiwa Sinhoara na de Ditado com Soroban, categoria Fundamental II (11 a 14 anos) e Elza Terumi Ikeda na prova de ditado com Soroban, categoria Ensino Médio e Adulto.

Premiação (Osmar Maeda)
Premiação (Osmar Maeda)

O II Gran Prix de Soroban foi um domingo de encontros e reencontros de atletas e familiares, foi a oportunidade para que novos convidados pudessem conhecer de perto, um pouco mais sobre o soroban e a incrível capacidade mental dos seus praticantes. O evento contou com a presença do presidente da Associação Cultural de Shuzan do Brasil, Yoshimi Saito que fez questão de cumprimentar e incentivar os organizadores.

Diretora Claudia Miyuki e Yoshimi Saito, presidente da Associação Shuzan (Osmar Maeda)
Diretora Claudia Miyuki e Yoshimi Saito, presidente da Associação Shuzan (Osmar Maeda)

Escola HeiSei – A Escola HeiSei é uma instituição de ensino bicultural que teve início em 1982 com um curso de soroban. Em 1989, tornou-se escola infantil, denominada Escola HeiSei (www.escolaheisei.com.br). Após 35 anos dedicados ao ensino do soroban no Brasil, e sempre em parceria com escolas de soroban do Japão, em maio de 2017, foi instalada a HeiSei Soroban Academy na rua Abílio Soares, 931, no bairro paulistano do Paraíso.
Focada na formação integral da criança e na prática da cidadania, com ênfase nas relações baseadas no respeito e no convívio social, a Escola HeiSei se dedica a uma educação que proporciona o desenvolvimento do aluno em todas as dimensões, aprimorando suas habilidades físicas, emocionais, intelectuais e sociais.
Durante o ano, a HeiSei realiza diversas atividades culturais, exemplos como o Undoukai (a tradicional gincana poliesportiva da família nipo-brasileira), O “Arraiá da Escola HeiSei” (festa junina), “Keirou no Hi” (Dia dos Idosos) e outros eventos que contribuem para a integração social e cultural de pais, alunos e familiares com a comunidade.
Além da HeiSei Soroban Academy, a Escola HeiSei conta com duas unidades: a sede central, localizada na Rua Vicente Biondo, 102 – telefone 2239-5770, Vila Ester, na capital,  e outra, na Alameda das Sibipirunas, 230 – tel.(11) 986-939-970, Vila Alvorada, na cidade de Jundiaí.

Abertura evento cresce a cada ano que passa (Osmar Maeda)
Abertura evento cresce a cada ano que passa (Osmar Maeda)

“Além de divulgar e preservar a cultura milenar do Japão, a Escola HeiSei propõe um trabalho que busca contribuir para a integração duradoura, não só de japoneses e seus descendentes, mas de toda a comunidade brasileira, por meio de uma convivência fraternal e de amizade, que é também o fundamento das manifestações culturais”, destaca a diretora Claudia Miyuki Y. F. Hamasaki.

FONTE : JORNAL NIPPAK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *