Instituição transforma casas abandonadas em moradias para mães solteiras no Japão

Uma instituição de caridade japonesa que transforma casas vazias em moradias para mães solteiras ganhou um grande prêmio internacional, chamando atenção para o estigma e os desafios que tais mulheres enfrentam no país.
A Little Ones, com sede em Tóquio, foi nomeada na última quinta-feira como vencedora do prêmio World Habitat por converter casas vazias e abandonadas em lares para mães solteiras a preços subsidiados.
A organização sem fins lucrativos ajudou mais de 300 mães solteiras a encontrar uma casa em Tóquio, Osaka e Chiba desde sua criação em 2008.
“O Japão tem uma cultura que dificulta o trabalho das mulheres depois de ter filhos, o que torna a vida excepcionalmente difícil para as mães solteiras”, disse o diretor executivo da Little Ones, Kunihisa Koyama.
“Proprietários de apartamentos frequentemente recusam mães solteiras porque elas não são consideradas financeiramente estáveis. O estigma social, a falta de oportunidades econômicas e os altos custos em cidades como Tóquio significam que a maioria das mães solteiras vive na pobreza”, disse ele.
O Japão está entre as nações mais ricas do mundo, mas suas mães solteiras estão entre as piores. Menos da metade recebe pensão e muitas vezes não conseguem trabalhar.
A taxa de pobreza infantil das famílias monoparentais no Japão é a mais alta entre as nações ricas, segundo a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).
As famílias monoparentais do Japão aumentaram em cerca de metade, para 712.000, entre 1992 e 2016, disse o Ministério da Saúde.
Ao mesmo tempo, casas vazias e abandonadas são um problema crescente no país em processo de envelhecimento, totalizando 9 milhões de imóveis, ou cerca de 14% do estoque de moradias.
Até 2033, estima-se que cerca de um terço dos lares japoneses ficará vago quando a população diminuir.
Uma lei de 2015 para promover o reaproveitamento de casas abandonadas permitiu que a Little Ones trabalhasse com os proprietários e autoridades locais para reformar essas moradias mais facilmente com um subsídio do governo.
“Para uma mãe solteira e seus filhos, a moradia segura e acessível é um ponto de partida para que eles possam avançar em suas vidas”, disse Koyama à Thomson Reuters Foundation.
A Little Ones também fornece uma rede de apoio e outros recursos para as mulheres, disse ele.
O programa é um uso “engenhoso” de casas vagas para abordar a “estigmatização e discriminação da experiência das mães solteiras no acesso à moradia”, disse Leilani Farha, relatora especial das Nações Unidas sobre o direito à moradia adequada.
Ao reformar casas abandonadas e trazê-las de volta ao uso, o projeto está “melhorando fisicamente os bairros para a comunidade como um todo”, disse o grupo consultivo do World Habitat Awards em um comunicado.
Os prêmios, apoiados pela ONU Habitat, são apresentados a 10 projetos habitacionais inovadores a cada ano.

FONTE : ALTERNATIVA ON LINE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *