Jogos Olímpicos em 2021 só com vacina contra coronavírus, diz chefe da JMA

Será difícil para Tóquio sediar os Jogos Olímpicos no próximo ano, a menos que exista uma vacina eficaz contra o coronavírus, disse nesta terça-feira (28) o chefe da Associação Médica do Japão (JMA, na sigla em inglês), segundo noticiou o jornal Asahi. 

“Minha opinião é que será difícil hospedá-los (os atletas entre outras pessoas), a menos que seja desenvolvida uma vacina eficaz”, disse Yoshitake Yokokura, presidente do grupo, durante uma coletiva de imprensa online organizada pelo Clube de Correspondentes Estrangeiros do Japão, em Tóquio, noticiou a Kyodo. 

Ele disse que aqueles que estão envolvidos no desenvolvimento de uma vacina devem acelerar o ritmo para este objetivo.
Yokokura, no entanto, se recusou a dizer se sua organização se oporia à realização dos jogos sem uma vacina disponível.
“O estado global de infecções naquele momento específico será uma questão fundamental”, afirmou ele. 

“Será difícil mesmo que a situação no Japão melhore se as infecções continuarem a se espalhar” no exterior.
Yokokura pediu ao Japão que aumente os testes de coronavírus, que, segundo ele, não tem sido amplo o suficiente para avaliar se as taxas de infecção no país estão caindo. 

Ele também culpou a falta de roupas de proteção por espalhar o vírus nos hospitais.

Referindo-se à declaração do Japão de um estado de emergência nacional até 6 de maio, Yokokura disse que acredita que o governo “não será capaz de levantá-lo completamente” nessa data, com o número de infecções aumentando em áreas em torno de Tóquio, Aichi, Osaka e Prefeituras de Fukuoka.

No final de março, as Olimpíadas foram adiadas para julho de 2021 devido à pandemia global de coronavírus.
O adiamento dos Jogos Olímpicos foi decidido no final de março. A competição passou para julho do ano que vem, representando um grande golpe para o Japão, que já havia gasto US $ 13 bilhões (1,4 trilhão de ienes). 

A pandemia já infectou quase três milhões de pessoas e matou mais de 200.000 e especialistas alertam que a luta contra o vírus poderá ser prolongada.

Laboratórios de vários países estão trabalhando em vacinas para proteger as pessoas contra o novo coronavírus e medicamentos para tratar seus sintomas. 

A necessidade de realizar ensaios clínicos exaustivos para testar sua eficácia e segurança, no entanto, significa que pode levar meses até que estejam amplamente disponíveis.

FONTE : ALTERNATIVA ON LINE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *