Lei de trânsito que pune direção perigosa em estradas entrará em vigor no Japão

A nova lei que impõe sanções mais severas por incidentes provocados por direção perigosa nas estradas entrará em vigor no Japão nesta terça-feira (30), publicou a Kyodo News.  

A Dieta promulgou a lei no início deste mês, na sequência de vários acidentes fatais caracterizados por direção perigosa nas estradas.

O termo em japonês é あおり運転 (aori unten), que é a direção agressiva, aproximando-se excessivamente de outro veículo e realizando manobras perigosas de ultrapassagem e perseguição.
Nesta segunda-feira (29), um evento foi realizado pela polícia em uma área de descanso na via expressa Chuo, em Hachioji, oeste de Tóquio, para explicar aos motoristas a nova lei. 

A polícia também distribuiu panfletos.

A lei revisada define esse crime na estrada como “direção obstrutiva”, que inclui uso de buzina e freadas bruscas com o objetivo de dificultar a condução de outros veículos.

As autoridades policiais poderão revogar imediatamente as carteiras de motorista por uma infração de trânsito do gênero e as punições serão de até três anos de prisão ou uma multa máxima de 500.000 ienes.

Atualmente, as carteiras de motorista podem ser revogadas imediatamente em casos como dirigir embriagado ou dirigir com carteira suspensa, entre outras ofensas de trânsito. 

Dirigir de modo a causar “perigo extremo”, incluindo forçar outro veículo a parar nas vias expressas e incidentes que envolvam o risco de colisões nas estradas locais, pode resultar em até cinco anos de prisão ou multa máxima de 1 milhão de ienes.

Em comparação, as multas atuais por utilização não autorizada agressiva nas vias expressas são de apenas três meses de prisão ou uma multa máxima de 50.000 ienes.

A direção agressiva nas estradas chamou a atenção no Japão desde que um motorista forçou um carro a parar na faixa de passagem em uma via expressa em Kanagawa em 2017. 

Enquanto estava parado, o carro foi atingido por trás por um caminhão, matando um homem e uma mulher e ferindo as duas filhas.

FONTE : ALTERNATIVA ON LINE

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *