Losartana entregue pela Prefeitura está “livre” dos lotes irregulares

Remédio para controle de pressão arterial é seguro e está disponível, mediante prescrição médica, na rede de farmácias municipais

Os lotes atualmente disponíveis do medicamento Losartana, utilizado por pacientes com hipertensão (pressão alta), oferecidos na rede pública de Marília, não estão incluídos na lista de restrições da Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O alerta é da Secretaria Municipal da Saúde.

Na semana passada, a agência anunciou o recolhimento de cerca de 200 lotes de medicamentos para o tratamento de hipertensão. A lista de medicamentos e lotes recolhidos pode ser conferida clicando aqui (http://bit.ly/2JLOF5k)

Conforme a farmacêutica Rosângela Campanhã, responsável pelo setor na Saúde Municipal, o paciente que interromper o uso por desinformação estará se prejudicando. “É um medicamento de uso contínuo, por isso nosso alerta. Preocupadas com um risco inexistente, as pessoas podem colocar a saúde em risco”, disse.

A medida de recolhimento (pela Anvisa) foi adotada após o órgão detectar impurezas, chamadas de nitrosaminas, no princípio ativo “sartana”, que é um dos ingredientes utilizados na fabricação do medicamento.

O problema aconteceu com cerca de 200 lotes, segundo a agência, não incluindo lotes adquiridos pelo município. “Os clínicos da nossa rede estão sendo orientados. Podem continuar prescrevendo normalmente. Estamos atentos aos informes da agência e não temos nenhum motivo para preocupação”, disse Rosângela.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *