Mais do que discursos, encontro em Bonn precisa de compromissos e ações concretas

Os negociadores do clima se reúnem nesta semana em Bonn para a sessão anual de meio ano da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima. A reunião acontece em meio a crescentes demandas dos cidadãos por ações intensivas do clima, maiores evidências do efeito que a mudança do clima está causando na vida e nos meios de subsistência das pessoas, nas espécies e nos ecossistemas dos quais dependemos; além da inércia dos governos para avançar com a velocidade e a escala necessárias para enfrentar a crise climática.

O especialista em negociações internacionais do WWF-Brasil, Mark Lutes, diz que um avanço profundo em Bonn é essencial para cumprir o Acordo de Paris e buscar um clima seguro para as futuras gerações, como jovens de todo o mundo já estão exigindo.

“Diante de uma crise climática diferente de todas as que o mundo já viu, as pessoas, especialmente os jovens, estão ficando impacientes com a lentidão dos governos. Se falharmos no pico de emissões até 2020 e no fechamento da lacuna projetada de 2030 para manter o aquecimento global em 1,5 °C, arriscaremos colocar o planeta em um caminho para uma crise climática irreversível e profunda. Para manter viva a promessa de Paris, precisamos ver avanços significativos na reunião dos negociadores do clima em Bonn, que levem a compromissos ousados”, diz Lutes.

A COP24 em Katowice indicou a expectativa de que, até 2020, os países voltem com metas climáticas nacionais (Contribuições Nacionalmente Determinadas ou NDCs) atualizadas e melhoradas. A COP adotou um pacote quase completo de regras para implementar o Acordo de Paris, deixando algumas coisas para serem definidas em Bonn e na COP25, em Santiago, Chile, em dezembro.

O relatório especial do IPCC sobre o aquecimento global de 1,5 °C estava no centro da COP24, diz Lutes: “o relatório colocou nosso desafio comum em termos rígidos: precisamos de cortes rápidos e profundos nas emissões globais de gases de efeito estufa para cumprir as metas do Acordo de Paris.”

O foco da COP24 no aumento da ambição deve continuar em 2019. Os países devem chegar à Cúpula de Ação Climática da Secretaria Geral da ONU em 23 de setembro prontos para anunciar suas NDCs atualizadas ou com planos para entregá-las até 2020. Elas devem estar combinadas a novos compromissos financeiros ambiciosos de mitigação, adaptação e perdas e danos. “A COP 25 deve ser uma resposta e aproveitar a Cúpula sobre a Ação Climática”, disse ele.

As expectativas do WWF para a reunião do SB50 em Bonn são:

Atualizar as Contribuições Nacionalmente Determinadas até 2020, de acordo com 1,5°C

  • 2019 é o ano para os governos implementarem processos nacionais para garantir que as NDCs atualizadas estejam alinhadas com 1,5°C. As Partes devem seguir esta oportunidade para apoiar este esforço, incluindo a mobilização de financiamento e outros meios de apoio, e as ações imediatas de curto prazo descritas abaixo. Os governos também podem incluir em suas NDCs colaborações internacionais ou iniciativas conjuntas, inclusive por atores subnacionais e não-estatais, que contribuam para suas metas nacionais com potenciais efeitos colaterais em outros países ou setores econômicos mundiais. Os países com maior capacidade e responsabilidade, especialmente os países desenvolvidos, precisam demonstrar e fortalecer sua liderança na redução de suas emissões e na mobilização de apoio financeiro, tecnológico e de capacitação.

Ações urgentes e mobilização de múltiplos atores

  • NDCs e planos climáticos, metas e legislação em nível nacional estão na linha de frente da batalha contra as perigosas mudanças climáticas.
  • Os países da Ásia que estão na linha de frente das parcerias inovadoras e da colaboração serão fundamentais para dimensionar as soluções existentes e exponenciar as ações.

Preencher as lacunas e fortalecer as instituições

  • Apesar do progresso no Livro de Regras na COP24, as Partes não conseguiram chegar a um acordo sobre as regras para o Artigo 6 (mercados de carbono e abordagens não-mercadológicas) e sobre prazos comuns para as NDCs. Esses dois temas foram adiados para serem negociados em Bonn, em junho, na SB50, com o objetivo de serem concluídos até a COP25. É crítico que sejam feitos progressos substanciais nestes elementos em Bonn, assim como em outros elementos que não faziam parte do Programa de Trabalho do Acordo de Paris, mas também precisam ser concluídos até a COP25, como discussões sobre financiamento de perda e danos e operacionalização da Meta Global em Adaptação.

FONTE : WWF BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *