Médico do MAC após reunião com FPF: “Saímos com mais perguntas que repostas”

Chefe do departamento médico do Marília Atlético Clube (MAC), o ortopedista Marcos Vinícius Muriano, o “Rachid”, participou da videoconferência com médicos de equipes das Séries A-1, A-2 e A-3 do Campeonato Paulista, na última segunda-feira (dia 27).

“A reunião foi para esclarecermos assuntos técnicos. É um tema bem complicado, pois é algo novo (coronavírus) para todos nós. Posso dizer que saímos com mais perguntas que respostas”, comentou.

Muriano falou que não foi discutida uma data para a volta das competições e que a decisão de retorno será do Estado. “A palavra final será do governador (João Dória). Eles precisam chegar a um acordo com a Federação e o clubes, mas uma coisa é certa os jogos serão com portões fechados. Acredito que até o dia 8 de maio (data do novo decreto do Governo) teremos novidades”.

Além dos médicos dos clubes das três divisões paulistas, esteve presente o infectologista David Uip, chefe do Comitê de Contingência da Covid-19 do governo de São Paulo.

Ele alertou para a falibilidade dos testes disponíveis hoje para detecção do coronavírus. Esse aviso desencorajou planos que previam algum tipo de “isolamento” do futebol – como colocar todos os elencos no mesmo local, testar todos os envolvidos na realização das partidas e assim acelerar a volta das atividades.

“De cada 10 testes que são realizados, três dão falso negativo”, explicou o médico do Marília. Outro assunto discutido na reunião é sobre quem irá arcar com os testes realizados nos jogadores e delegações, pois cada exame custa em média de R$ 200 a R$ 300. “Na reunião dois médicos já anteciparam dizendo que seus clubes não possuem condições de pagar”, frisou Marcos Muriano.

Questões como enclausurar os atletas em um local ou liberarem para voltar as suas casas após treinos e jogos também foram levantadas. “Como eu disse, são muitas perguntas e poucas respostas. Por exemplo, se alguém contrai o vírus as pessoas com quem teve contato também ficam em quarentena. Se um atleta tiver o coronavírus precisaremos colocar o elenco inteiro em quarentena. E aí como faz?”, declarou o médico do MAC.

Série A-3 – Restam quatro rodadas para o fim da 1ª fase e o Marília está na zona do rebaixamento (penúltimo lugar – 15º) com 11 pontos. Entretanto, o 8º colocado Desportivo Brasil (último da zona de classificação) tem somente 14. As quatro partidas finais serão contra: Grêmio Osasco (casa), Capivariano (fora), Desportivo Brasil (casa) e Barretos (fora).

FONTE : JORNAL DA MANHÃ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *