No Egito, WWF defende novo acordo para a natureza e as pessoas

Os países-membros da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) das Nações Unidas sabem que não conseguirão atingir as metas para frear a destruição da natureza até 2020, quando termina o prazo que eles pactuaram para tal objetivo no âmbito da convenção. Mesmo assim, eles não irão desistir e discutem durante a 14ª Conferência das Partes da CDB aberta neste sábado (17) na cidade egípcia de Sharm-El-Sheikh, na Península do Sinai, um novo acordo global para a natureza e as pessoas.

O WWF atua junto aos países para que se possa avançar rumo a um acordo global, ainda mais ambicioso e que traga senso de urgência e compromisso político para resultados efetivos nos próximos anos.  Para isso será preciso que os mais altos níveis de governo, empresas e membros da sociedade trabalhem juntos em uma ação global urgente e decisiva para deter a perda de biodiversidade.

O Segmento de Alto Nível da Conferência das Nações Unidas sobre a Convenção sobre Diversidade Biológica (CBD CoP14) que aconteceu esta semana como prévia da reunião decidiu adotar a Declaração de Sharm-El-Sheik assinada pelos 196 países-membros e que aponta caminhos para o novo acordo. “Velocidade e escala são essenciais se quisermos ter alguma esperança de garantir um futuro sustentável para o planeta e para as pessoas “, disse Marco Lambertini, diretor geral do WWF Internacional em seu pronunciamento logo após o Segmento de Alto Nível.

“Aqui no Egito, sentimos uma grande decepção, porque ainda esperamos uma visão coerente ou um senso de direção. Precisamos que a CDB atinja a mais alta relevância política e desenvolva uma visão compartilhada muito maior se quisermos alcançar um novo acordo e criar um momento semelhante ao que ocorreu em Paris também para a biodiversidade em 2020. Ao mesmo tempo, estamos caminhando entusiasmados com a oportunidade, sem precedentes, de abraçar uma ambição mais clara e mais elevada, disse Lambertini.

Para o WWF, a implementação de acordos ambientais multilaterais individuais tem sido insuficiente, sem coesão ou responsabilidade. A organização apoia os esforços para aumentar a relevância política por meio de uma Cúpula de Chefes de Estado sobre Biodiversidade em 2020, desde que o processo político no nível ministerial comece mais cedo. Esta é uma oportunidade para os governos reforçarem seu compromisso com o bem-estar das pessoas e do planeta o mais rápido possível, submetendo sólidas contribuições voluntárias para a biodiversidade.

O WWF também celebrou o lançamento da Agenda de Ação para a Natureza de Sharm-El-Sheikh a Pequim, que reunirá representantes de governos e empresas em 2020 para confirmar compromissos de deter o declínio da biodiversidade e restaurar a natureza para o benefício das pessoas e do planeta.

Planeta Vivo

Proteger e restaurar a natureza e a biodiversidade é fundamental para a nossa saúde, bem-estar e economias, e para manter e aumentar a prosperidade em todo o mundo. A 14ª Conferência das Partes da CDB está sendo considerada uma oportunidade fundamental para impulsionar os esforços globais para deter a perda de biodiversidade, que segue acelerada em todos os países. O recém lançado Relatório Planeta Vivo do WWF mostra que a biodiversidade continua a diminuir, o que tem consequências devastadoras para as pessoas e o planeta

A expectativa do WWF é que a COP14 da CDB conclua com um sólido roteiro apoiado no mais alto nível político e ofereça um ambicioso Novo Acordo para a Natureza e as Pessoas, na China em 2020. Precisamos deste Novo Acordo, que ajude a proteger e restaurar a natureza para garantir um futuro sustentável para todos. A reunião termina no dia 29 de novembro.

FONTE : WWF BRASIL

  

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *