Norberto Lopes é o técnico com mais jogos na história do MAC

Apenas três treinadores na história conseguiram chegar à marca de 100 jogos no comando do Marília Atlético Clube (MAC). A reportagem JM traz hoje (dia 21) uma matéria publicada em 2017 sobre Norberto Lopes, o técnico que mais partidas têm pelo Alviceleste. São 164 jogos no total (73 vitórias, 46 empates e 45 derrotas) em nove passagens.

Os outros dois que passaram de 100 partidas pelo clube foram: Florindo Alves (década de 1950) com 139 e Pupo Gimenez (década de 70) com 122. Os três já são falecidos.

No último dia 4, completou 23 anos da morte de Norberto Lopes, que na época tinha 57 anos e dirigia a Ponte Preta. De acordo com a matéria da Folha de São Paulo de 1997, ele foi encontrado morto em seu apartamento no Condomínio Edifício Bahamas, no Jardim do Trevo, em Campinas. Segundo a polícia, a causa foi um infarto.

Norberto Lopes viveu a alegria de ter levado o MAC ao acesso no Campeonato Paulista da Série A-2 de 1990 – o clube disputaria a elite em 1991, depois de cinco anos longe da divisão principal do Estado. Contudo, o treinador também amargou o rebaixamento na Série A-2 de 1994.

A primeira passagem de Norberto Lopes pelo Marília aconteceu em 1972 e durou quase quatro meses (28 de março a 16 de julho). Contratado pelo presidente José Ribamar Motta Teixeira, ele estava sem clube e veio para substituir Álvaro Rodrigues. Logo em sua estreia pelo Torneio 25 de Janeiro, goleada de 8 a 0 sobre o Linense, no estádio Bento de Abreu.

A escalação maqueana da época tinha: Willian; João Luiz, Henrique Pereira, Djalma e Betão; Helinho e Foguinho; Toninho, Neguito (Waldemar), Warley e Ivo (Gaspar).

Norberto dirigiu o time em 20 jogos (sete vitórias, oito empates e cinco derrotas) e foi demitido após derrota para o Botafogo (2 a 0), em Ribeirão Preto, pela semifinal do torneio.

2ª passagem – A segunda passagem do treinador pelo Alviceleste aconteceria somente seis anos depois, em 1978, na gestão do presidente Pedro Pavão. Norberto foi contratado no dia 29 de março, na vaga de Vail Mota, que aceitou proposta do Remo-PA.

Nessa passagem, Norberto Lopes conseguiu derrotar o Palmeiras, de Jorge Mendonça e Baroninho no Palestra Itália, pelo placar de 2 a 0, no Paulistão. Esta é a única vitória maqueana sobre o Verdão em São Paulo na história. Um dos protagonistas desse jogo (23 de agosto) foi um “tal” de Jorginho Putinati, que tempos depois seria ídolo no Palmeiras.

Foram 30 partidas de Norberto Lopes nesta segunda passagem (12 vitórias, cinco empates e 13 derrotas). No dia 24 de setembro de 1978, o técnico pediu demissão, após perder no Abreuzão para o São Bento (3 a 2).

3ª e 4ª passagens – A terceira passagem do treinador pelo MAC ocorreu oito anos na década de 80, na gestão do presidente João More, quando o clube estava na Série A-2 de 1986. Dois anos antes, Norberto Lopes havia levado o rival Noroeste ao título da divisão de acesso (1984). Foram 27 jogos à frente do Alviceleste (15 vitórias, oito empates e quatro derrotas). Sua saída aconteceu após o fim do estadual.

A quarta passagem foi duas temporadas depois (1988) e com o mesmo presidente, porém durou apenas 12 partidas (oito vitórias, três empates e uma derrota), pois no dia 12 de maio, Norberto Lopes deixou o time maqueano para assinar com o Bragantino.

Acesso em 90 – A quinta passagem pelo Marília foi a mais curta das nove. Foram apenas dois jogos (uma vitória e uma derrota). A contratação feita pelo presidente Hely Bíscaro aconteceu no dia 30 de julho de 1989 e 15 dias depois o treinador pediu demissão, alegando problemas familiares. Contudo, na temporada seguinte o mandatário maqueano o recontratou durante a Série A-2, no lugar de Varlei de Carvalho.

Norberto estava em outro clube da mesma competição (Bandeirante de Birigui) e levou o MAC ao acesso. Em 20 partidas foram: oito vitórias, seis empates e seis derrotas. O jogo que fez o Tigre voltar à elite foi no dia 9 de dezembro, no empate em 0 a 0 contra o campeão Olímpia, no Abreuzão, terminando na 3ª colocação.

A escalação maqueana daquele jogo teve: Denílton; Carlos Martins, Alfredo (Marcelo Rodrigues), Miranda e Evandro; Macalé, Zé Roberto (Élder) e Cícero; Zó, Roberto e Rômulo. O público foi de 10.100 pagantes. Dez dias depois, o técnico deixou o Marília para acertar com o Grêmio Maringá-PR.

Meses fora do clube e Norberto retornava ao Marília para a sétima passagem, para o lugar de Ademir Da Aguia, o “Divino”. Foi o período em que mais comandou o Alviceleste: 32 jogos, sendo 14 vitórias, seis empates e 12 derrotas. No dia 23 de setembro pediu demissão.

Rebaixamento – A oitava e penúltima passagem do treinador pelo clube aconteceu em 1994, na gestão do presidente Fausto Jorge, em que o time foi rebaixado no Paulista da Série A-3. Norberto Lopes foi contratado para comandar a equipe nas últimas dez rodadas, para substituir José Carlos Serrão. Apesar de não ter evitado a queda maqueana, terminou o estadual invicto (cinco vitórias e cinco empates).

Após a competição o presidente renunciou ao cargo e em 1995, Hely Bíscaro voltava ao comando e o trouxe novamente para a nona e última passagem, para o Paulista da Série A-3. Foram apenas 11 jogos (três vitórias, cinco empates e três derrotas). No dia 27 de abril foi demitido.

Norberto x MAC – Norberto Lopes enfrentou o Marília 12 vezes, dirigindo outras equipes. O técnico leva vantagem nos confrontos com: sete vitórias, um empate e quatro derrotas, com nove clubes diferentes: Rio Claro, Noroeste, XV de Piracicaba, Santo André, Bragantino, Taquaritinga, Bandeirante/Birigui, Paulista de Jundiaí e União Mogi.

FONTE : JORNAL DA MANHÃ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *