Número de mortes por Covid-19 na Itália ultrapassa 8 mil

O número de mortes na Itália causadas por Covid-19, a doença transmitida pelo novo coronavírus, chegou nesta quinta-feira a 8.165, com 662 registradas nas últimas 24 horas, segundo a Defesa Civil do país.

A boa notícia é que o total diário de mortes caiu pelo segundo dia seguido: ontem, foi de 683, e anteontem, de 743.

Por outro lado, o número de pessoas infectadas voltou a aumentar, desta vez em 4.492, após três dias de queda. Com isso, são 62.013 pessoas com Covid-19 atualmente na Itália. O total de casos registrados até hoje é de 80.539

A nova alta de contágios se deve, principalmente à região da Lombardia, onde nas últimas 24 horas foram registrados mais de 2,5 mil casos. No total, a localidade que é o epicentro no país da crise do coronavírus, teve 34.889 infectados e 4.861 mortos.

De acordo com os dados da Defesa Civil italiana, atualmente, 3.612 pessoas estão em tratamento intensivo em todo o país.

TENDÊNCIA DE ALTA.

O aumento de hoje na quantidade de novos casos pode, ao interromper sequência de quatro dias de baixa, ser justificado pela quantidade de testes que estavam acumulados e tiveram contabilização hoje.

“É uma hipótese que teremos que verificar nos próximos dias, mas uma coisa está clara: nesse tipo de pandemia, não há solução mágica e imediata. O importante, é que a velocidade da curva de transmissões parece estar reduzindo” disse Agostino Miozzo, subdiretor da Defesa Civil.

O subdiretor adjunto da Organização Mundial de Saúde (OMS), Ranieri Guerra, manifestou a mesma posição e destacou que é importante a manutenção das medidas restritivas impostas pelo governo italiano, que indicam resultado positivo.

“É importante não baixar a guarda, frear a curva. Nos próximos dias, esperamos ter uma diminuição sustentada da série”, explicou o representante da OMS.

AJUDA INTERNACIONAL.

Na Itália, já desembarcaram especialistas e médicos de China, Cuba e Rússia, para dar auxílio na situação de emergencia vivida pelo país. O representante da Defesa Civil revelou ainda que nos próximos dias, uma equipe alemã também chegará.

Mais cedo, o presidente da região da Lombardia, Attilio Fontana, disse em entrevista coletiva que há necesidade de mais médicos e enfermeiros.

FONTE : EFE BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *