Prefeito Daniel Alonso conquista com governador João Doria a vinda do “Corujão da Saúde” para Marília. Mais de 32 mil exames serão realizados

Ano passado, em um programa similar, Marília bateu todos os recordes com cirurgias eletivas

O prefeito Daniel Alonso conquistou junto ao governador João Doria e o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann Ferreira, a vinda do programa “Corujão da Saúde” para Marília. Outras nove regiões do Estado também foram contempladas.

Ano passado, em um programa similar, o chefe do Executivo mariliense bateu todos os recordes com cirurgias eletivas em Marília – foram 8.263 procedimentos, um aumento de 78% em relação a 2016 quando foram feitas apenas 4.642 cirurgias. Esse novo programa vai zerar uma fila de 32.708 exames em Marília. Serão realizados 5.970 endoscopias, 3.118 mamografias e 23.620 ultrassonografias.

A meta do programa “Corujão da Saúde” é zerar a demanda reprimida por diagnósticos realizando 117.813 exames de endoscopia, mamografia e ultrassonografia nas regiões de Marília, Araçatuba, Araraquara, Barretos, Franca, Piracicaba, Registro, Ribeirão Preto, São João da Boa Vista e Sorocaba (confira abaixo os dados regionais).

Para tanto, a pasta deve contratar serviços privados de saúde interessados em participar do programa, além de ampliar a oferta de atendimentos em serviços estaduais.

“Anunciamos a terceira fase do Corujão, que vai atender mais 10 regiões e, assim, cobrir todas as regiões do Estado. Nas fases 1 e 2 do programa, os resultados nos mostram enorme êxito, com quase todas as metas iniciais de exames alcançadas. O programa é um sucesso”, afirmou o governador João Doria.

“Estamos muito felizes pela sensibilidade do governador em nos conceder esse benefício. Nós nos esforçamos aqui no município, mas a ajuda do Estado é sem dúvida muito importante. Zerando esses números de exames vamos juntar com dados das cirurgias que fizemos o ano passado, que aliás foi recorde em Marília”, disse Daniel Alonso.

O secretário municipal da Saúde, Ricardo Sevilha Mustafá, destacou a importância do programa. “O Corujão da Saúde chegará em boa hora e nos permitirá zerar uma filha de mais de 32 mil exames entre endoscopias, mamografias e ultrassonografias. Parabenizo o prefeito Daniel Alonso pelo empenho e o Governo do Estado por mais este investimento em nossa cidade.”

Edital

O edital de chamamento público para os serviços privados de saúde interessados em participar do programa será publicado no Diário Oficial do Estado e as propostas deverão ser apresentadas pelas organizações em até 10 dias.

Os exames serão realizados em horários alternativos, por meio de parceiros privados, bem como a ampliação da oferta nos serviços da rede própria estadual – hospitais e AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades).

“Melhorar a vida do paciente que utiliza o SUS é nosso principal objetivo. O Corujão representa nossos esforços para enfrentar a demanda reprimida por exames na rede pública e, assim, agilizar diagnósticos e o tratamento”, afirma o Secretário de Estado da Saúde, José Henrique Germann Ferreira.

Resultados

O programa começou nas regiões da Grande São Paulo, Campinas e Vale do Paraíba. Em 12 de abril, foi ampliado para as regiões da Baixada Santista, Bauru, Presidente Prudente e São José do Rio Preto.

A Grande São Paulo foi a primeira região a zerar 100% da demanda reprimida pelos três tipos de exames, marco alcançado em 30 de maio. As mamografias foram executadas nos primeiros 44 dias do programa.

No Vale do Paraíba e na região de Campinas, as mamografias pendentes foram plenamente executadas até 24 de maio e 10 de junho, respectivamente. De modo geral, o programa já atingiu 80% de produtividade nesses locais.

Com a segunda fase do programa, percentual similar foi alcançado nas regiões de Presidente Prudente e São José do Rio Preto. Na Baixada Santista, 89% da fila foi esgotada. Em Bauru, metade da demanda reprimida foi atendida, até o momento.

Nas sete regiões, já foram agendados 77,6 mil exames, no total, com 38,4 mil pessoas atendidas. Desde o início do programa, a Secretaria constata um índice médio de 30% de absenteísmo, ou seja, um a cada três pacientes se ausentam na data e horário marcados.

 “Contamos com a colaboração dos pacientes para que compareçam nos agendamentos e aproveitem a oportunidade de realizar esses exames gratuitamente”, complementa o secretário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *