Prefeitura amplia programa criado para dar suporte emocional aos trabalhadores da Saúde

O programa atenderá também trabalhadores que não puderam parar suas atividades por causa da pandemia

Comunicado sobre a necessidade de se ampliar o serviço de escuta telefônica para orientação e suporte emocional para todos trabalhadores de serviços essenciais durante a pandemia, inicialmente criado para atender trabalhadores da saúde que passam por fatores desencadeadores de angústia de forma mais intensa por ser uma população exposta, o prefeito Daniel Alonso solicitou à Secretaria Municipal de Saúde de Marília que desse o suporte necessário para que isso acontecesse.

Assim, a Secretaria de Saúde, através do Cerest (Centro de Referência em Saúde do Trabalhador) Marília e a Coordenadoria de Saúde Mental e sua equipe de profissionais, estenderam o serviço de escuta telefônica e suporte emocional para trabalhadores de um modo geral que precisem deste apoio.
Segundo Luciana Caluz Carvalho Pereira, supervisora do Cerest Regional/Marília, como estratégia para auxiliar trabalhadores da saúde de Marília, que atuam na linha de frente no combate ao Covid-19, foi criado um serviço de escuta.

Durante os atendimentos e em contato com organizações de apoio a trabalhadores como conselhos de classe e sindicatos, o Cerest Marília identificou necessidade de apoio emocional a outros grupos de trabalhadores que também estão no exercício de suas atividades durante a pandemia.

“Com a ocorrência da pandemia, em função dos cuidados que temos que ter e frente ao desconhecido, este é um momento de muito estresse e muita angústia, seja para quem está em serviços essenciais e mais expostos como é o caso dos trabalhadores da saúde, seja para aqueles que não interromperam suas atividades profissionais. Por isso, a disponibilidade do serviço pode ser um diferencial no combate ao Coronavírus, sendo uma medida preventiva de agravos de saúde mental em virtude da alta carga emocional e de trabalho nesse período de enfrentamento ao Covid”, disse a supervisora do Cerest.

Já Simone Alves Cotrin Moreira, supervisora de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde, voltou a destacar que as pessoas devem procurar se manter informadas sobre a pandemia, mas não consumir informações em excesso, manter uma alimentação saudável e número adequado de horas de sono, realizar exercícios de alongamento e atividades físicas mesmo dentro de casa. “É aconselhável também que as pessoas mantenham contato via telefone ou internet com aqueles que mais amam, mantendo a distância geográfica e diminuindo a distância afetiva”, afirmou a supervisora.

Aqueles que sentirem essa necessidade de acolhimento podem ligar no telefone (14) 3422-1897, das 7h30 às 12h30.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *