Prefeitura pede conscientização da população para evitar entupimento de bocas de lobo

Orientação é para que moradores não joguem lixo nas ruas e não deixem o lixo doméstico em local baixo

A Prefeitura de Marília, por meio da Secretaria Municipal de Obras Públicas, está pedindo uma conscientização maior de toda a população para que não jogue lixo nas ruas e não deixem o lixo doméstico em local baixo, o que contribui para o entupimento das bocas de lobo, provocando alagamento nas ruas e até inundações em residências durante período chuvoso.

“É fundamental que a população tenha essa consciência para que tenhamos uma ação preventiva para garantir o correto funcionamento da drenagem pluvial do município, principalmente nesta época de muita chuva”, disse o engenheiro Maycon Ramón Dorta de Oliveira, chefe de Obras Públicas da secretaria municipal.

Diariamente a Secretaria de Obras Públicas recebe vários pedidos para desobstrução de bocas de lobo e, ao chegar ao local, a equipe de Galerias Pluviais normalmente se depara com grande volume de lixo, garrafas PET, sacolas plásticas, embalagens, latas, pedaços de madeira, móveis, cabos de vassoura, galhos de árvore, folhagens, material de construção em geral, peças automotivas, tapetes, malas, capacetes e etc, sendo que quando chove, o material acaba entupindo as galerias pluviais, as chamadas bocas de lobo. Também é possível encontrar muito entulho e material de construção civil espalhado pelas calçadas e terrenos e quando chove esse material vai para o sistema de drenagem.

“O trabalho de limpeza do sistema de drenagem urbana da cidade é responsabilidade da administração municipal, assim como o desentupimento e limpeza de bocas de lobo, bocas de leão, ramais, redes, canaletas e caixas de passagem. Atualmente a administração municipal enfrenta dificuldades para dar conta da demanda visto que a mesma equipe, formada por 12 servidores e cerca de 30 reeducandos, que faz a limpeza também realiza diversos outros serviços distintos”, afirmou o engenheiro Maycon.

De acordo com o chefe de Obras Públicas, os entupimentos persistem e são cada vez mais frequentes graças aos munícipes que insistem em jogar lixo e entulho nas ruas e calçadas. “As pessoas jogam coisas pequenas achando que isso não vai afetar a rede de drenagem, mas são centenas de pessoas que fazem isso todos os dias, o lixo vai acumulando e se misturando com o material carregado pelas sarjetas e posteriormente levados pelas chuvas. Frequentemente toda a rede está entupida além da boca de lobo e em média é preciso desentupir cerca de 50 metros de tubulações além do deslocamento de todo o maquinário disponível para a retirada da camada asfáltica e movimentação de solo. A maior parte do trabalho é manual e são os funcionários municipais que na maioria dos casos precisam entrar nas galerias para retirar o material com o auxilio de ferramentas.

O entupimento das bocas de lobo causa transtornos não só ao morador da respectiva rua, mas para toda a população do bairro. Além do acúmulo de água que causa mau cheiro, o entupimento não permite que a boca de lobo cumpra sua função de retirar as águas pluviais das ruas, causando danos ao asfalto, calçadas, áreas verdes e consequentemente podem provocar danos a veículos e residências.

“O comportamento da população é fundamental para auxiliar os trabalhos da Prefeitura. Além de não jogar lixo nas vias públicas é necessário que os munícipes denunciem na Ouvidoria Geral do Município quem joga. Em alguns locais a situação é ainda mais grave, sendo constatadas várias bocas de lobo que haviam sido lacradas por moradores, o que ocasiona também uma grande enxurrada nas ruas, muitas vezes comparadas pelos moradores pelas suas proporções a rios”, afirmou Maycon.

A colaboração da população é considerada primordial neste tipo de situação. “Temos realizado todo o trabalho de limpeza possível, mas a colaboração da população e o respeito pelo trabalho que a administração tem realizado são fundamentais. Por isso, pedimos que os veículos de comunicação nos auxiliem na conscientização da população, assim prevenindo que problemas de maior gravidade venham a acontecer”, finalizou o engenheiro.

A Diretoria de Divulgação e Comunicação da Prefeitura de Marília acompanhou nesta quinta-feira (31) pela manhã os trabalhos da Equipe de Galerias Pluviais que, entre outros locais, esteve na rua Claudionor João de Oliveira, no Jardim Maracá, próximo ao distrito de Padre Nóbrega, residencial entregue há pouco tempo.

Assim que a equipe abriu a boca de lobo se deparou com grande quantidade de garrafas PET, latas de cerveja e refrigerantes, muitos pedaços de paus e até um patinete, entre outros materiais, que estavam obstruindo a drenagem pluvial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *