Treinadores da Série A-3 têm opiniões divididas sobre a volta

Na última terça-feira (dia 7), a Federação Paulista de Futebol (FPF) comunicou os 16 clubes que disputam o Campeonato Paulista da Série A-3, garantindo que a competição vai ser retomada (mesmo que ainda sem prazo). A paralisação aconteceu no dia 16 de março, após o término da 11ª rodada (restam ainda quatro nesta 1ª fase). A reportagem JM ouviu quatro treinadores que comandam equipes nesta divisão sobre esse informe da entidade.

Técnico do Marília Atlético Clube (MAC), Guilherme Alves acha que a competição não deveria retornar. “Acho muito precipitado falar em voltar, porque tenho acompanhado que no Brasil o pico da doença vai chegar nas próximas duas semanas. Eu não pretendo sair de casa nos próximos 30 dias. Vou ser bem sincero, se não tiver segurança para conter o contágio do coronavírus, eu não volto a trabalhar”, afirmou.

Guilherme Alves tem 45 anos e faz parte do grupo de risco, pois é cardíaco e hipertenso. O comandante maqueano disse que a Série A-3 deveria ser encerrada, sem acessos, título e descensos. “Não se trata de ser justo ou não, mas para mim 2020 deveria ser zerado e no ano que vem começaria tudo do início”, opinou. O Alviceleste está na penúltima colocação com 11 pontos e estaria sendo rebaixado.

Quem também concorda com o encerramento do campeonato é o técnico do EC São Bernardo, Renato Peixe. Porém, o comandante falou que os dois primeiros colocados deveriam conquistar o acesso (sendo um deles o EC São Bernardo, vice-líder) e que ninguém seja rebaixado. “Todos nós precisamos entender que estamos em um cenário atípico e acredito que o menos prejudicial nesse momento seria acabar a competição, definindo os dois acessos e sem descenso. Como a Federação pode pensar em retomar a Série A-3 se muitos atletas já estão com pré-contrato assinado com outras agremiações? Não tem como voltar”, avaliou.

Querem o retorno – Outros dois treinadores entrevistados pela reportagem JM, querem a volta do Paulista da Série A-3. Ricardo Costa, do Capivariano, acha ser injusto encerrar a competição nesse momento com definições de acessos e descensos ou não.

“Faltam ainda quatro rodadas para o fim da 1ª fase e tem o mata-mata. Muita coisa pode acontecer. Definir os dois primeiros colocados com o acesso não seria justo. Não sei como a Federação vai fazer com o contrato dos atletas terminando em maio, mas até pela falta de calendário nacional para os clubes da Série A-3, a competição precisa voltar. Agora se acabar, o que eu não concordo, o correto é dar o acesso para os dois primeiros e o rebaixamento para os dois últimos. Não pode só definir quem sobe. Se for assim, precisa rebaixar também”, opinou. O time da Capivari está em 4º lugar na tabela, dentro da zona de classificação.

Fahel Junior, treinador do Comercial (5ª posição), também quer a continuidade da Série A-3 e apontou dois caminhos para a sequência. “Uma alternativa seria encerrar a 1ª fase do jeito que está, sem rebaixamento e com os oito primeiros colocados disputando o mata-mata de quartas de final, para definir os dois acessos. Agora, se a competição for retomada do jeito que parou, aí o regulamento é o mesmo. Resta só sabermos como a Federação vai resolver a questão dos contratos dos jogadores, pois por lei eles não podem ser realizados por menos de três meses”, frisou.

FONTE : JORNAL DA MANHÃ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *