Visita da princesa Mako deve unir ainda mais a comunidade do Paraná, diz Luiz Nishimori

Maringá foi a terceira cidade no Estado do Paraná – e a quarta localidade brasileira – visitada pela princesa Mako desde o dia 18 de julho, quando ela desembarcou no Rio de Janeiro para participar das celebrações pelos 110 anos da imigração japonesa no Brasil. A visita, no dia 20 de julho, teve como ponto a Expo Imin 110, palco da cerimônia oficial realizada no Parque Internacional de Exposições Francisco Feio Ribeiro.
Filha mais velha do príncipe Fumihito e de sua esposa, a princesa Kiko Akishino, que estiveram em Maringá em 2015 e neta mais velha do imperador Akihito e da imperatriz Michiko, que também visitaram a “Cidade Canção” em 1978, Mako chegou à sede da Acema (Associação Cultural e Esportiva Maringá), local da primeira parada, acompanhada pelo presidente dos festejos dos 110 Anos no Estado do Paraná, deputado federal Luiz Nishimori. Lá, foi recebida pelo presidente do clube, Afonso Shiozaki, e pela governadora do Paraná, Cida Borghetti.

A princesa Mako no jardim da Acema (Aldo Shiguti)
A princesa Mako no jardim da Acema (Aldo Shiguti)

Com um vestido estampado de manga comprida e em tons de verde, a princesa iniciou sua visita pelo jardim, onde observou o local em que em 2015 seus pais plantaram pés de ipês – amarelo e branco – por ocasião das comemorações dos 120 Anos do Tratado de Amizade, Comércio e Navegação Brasil-Japão. Depois, regou o ipê branco plantado em sua homenagem.

Princesa rega pé de ipê plantado em sua homenagem (Aldo Shiguti)
Princesa rega pé de ipê plantado em sua homenagem (Aldo Shiguti)

Do jardim, a princesa Mako se reuniu com a governadora Cida Borghetti num encontro reservado, e se dirigiu depois para o salão social, onde foi servido o almoço para mais de 500 pessoas.
Antes do seu aguardado pronunciamento, discursaram o presidente da Acema, o deputado federal Luiz Nishimori e a governadora Cida Borghetti. Afonso Shiozaki destacou que a visita da princesa Mako “fortalece ainda mais nosso bom relacionamento com o Japão” e parabenizou a população do Japão pelo “excelente trabalho de reconstrução do país após a Segunda Guerra Mundial, principalmente na educação, na cultura e nos costumes, se consolidando como a terceira economia mundial”.

Em seu dicurso durante almoço na Acema (Aldo Shiguti)
Em seu dicurso durante almoço na Acema (Aldo Shiguti)

Sonhos e esperanças – Luiz Nishimori disse que os 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil representam “uma verdadeira história de sonhos, esperança, trabalho e luta”. “Uma história de amor e comprometimento com esta terra que acolheu todos os imigrantes. Acompanhando essa trajetória, notamos a grande contribuição dos pioneiros para o desenvolvimento em todos os setores desta nação, colaborando e estreitando os sonhos e os relacionamentos entre o Brasil e o Japão”, explicou Nishimori, acrescentando que a solenidade tem como objetivo “lembrar esses pioneiros, esses grandes herois que acreditaram e tanto contribuíram e ajudaram a escrever a história do Brasil”. “O Imin 110 também tem como grande objetivo valorizar os jovens e as crianças, que são o nosso futuro, e repassar a cultura japonesa e suas tradições, seus ensinamentos e valores para as próximas gerações”.
Já a governadora Cida Borghetti lembrou que o Paraná, Estado que abriga a segunda maior comunidade nikkei do país, “sempre acolheu muito bem seus visitantes e está orgulhoso pela honrosa presença da princesa e de toda sua comitiva”. A governadora agradeceu a contribuição da comunidade japonesa na cultura, na arte, na educação, na música e na indústria e fez um convite especial para que a língua japonesa faça parte do programa “Paraná Fala Língua Estrangeira”, do governo estadual.
Em seu discurso, a princesa Mako disse que estava “muito feliz em visitar o Brasil a convite do governo brasileiro em um ano memorável como esse”. Lembrou que o Brasil “é um pais pelo qual sempre senti amizade desde criança, apesar da longa distância geográfica”, e que sentia “um grande prazer” em saber que o Paraná realiza diversas atividades para divulgar e preservar a cultura japonesa”.

Luiz Nishimori e a princesa na Expo Imin 110 (Aldo Shiguti)
Luiz Nishimori e a princesa na Expo Imin 110 (Aldo Shiguti)

Haicai – À noite, a princesa Mako participou da cerimônia oficial do Imin 110 no Parque Internacional de Exposições Francisco Feio Ribeiro. Além da governadora Cida Borghetti e do deputado federal Luiz Nishimori, a solenidade contou com a presença do embaixador do Japão Akira Yamada; do cônsul-geral do Japão no Paraná, Hajime Kimura; do presidente do TRE, desembargador Luiz Oyama; do chefe da missão da Casa Imperial, Shigueo Kondo; do vice-governador de Hyogo, Kazuo Kanazawa; do presidente da Aliança Cultural Brasil/Japão, Hiroshi Kamiguchi; e do prefeito em exercício de Maringá, Edson Scabora; entre outros.
Hiroshi Kamiguchi destacou que a celebração era uma “união entre os dois países”. “É uma grande alegria comemorar os 110 anos da imigração japonesa no Brasil e uma honra poder transmitir todos os valores, cultura, tradição e os ensimentos às próximas gerações”.
Cida Borghetti citou o primeiro haicai escrito por Shuhei Uetsuka no Brasil, ainda a bordo do Kasato Maru: “Nau imigrante, cortando oceanos: cascata seca”. “Vocês cortaram oceanos com a mesma determinação que demonstram em nosso território”, destacou a governadora, afirmando que “nós, maringaenses, e todos os paranaenses temos relações históricas e afetivas muto significativas com os japoenses e seus descendentes. “Podemos dizer, com toda sinceridade e franqueza, que somos povos irmãos”, contou.

Apresentação do grupo de taiko Ondekoza (Aldo Shiguti)
Apresentação do grupo de taiko Ondekoza (Aldo Shiguti)

Antes da cerimônia, se apresentaram grupos de taiko, como o japonês Ondekoza, e o cantor Joe Hirata, que interpretou a música tema dos 110 Anos, “Arigatô Brasil”. Foi a única apresentação do cantor assistida pela princesa Mako.
A Expo Imin 110 prosseguiu até domingo, 22, com exposições, workshops, praça de alimentação e estandes de empresas japonesas, além do 33º Concurso Brasileiro de Canção, promovido concomitamente à ExpoImin 110 pela Abrac (Associação Brasileira de Canção Japonesa).

Simpatia e simplicidade – Ao Jornal Nippak, único veículo em português da imprensa nikkei presente em Maringá, Nishimori disse que “nossa meta foi cumprida”. “Queríamos repassar a cultura, as tradições e até mesmo o ensino que recebemos de nossos pais e avós para as próximas gerações e para a sociedade brasileira. Acho que conseguimos isso através da Expo Imin 110”, disse Nishimori.
Indagado pela reportagem do Jornal Nippak, sobre o que mais chamou a atenção da princesa na feira, Nishimori respondeu que “ela gostou de tudo”. “Principalmente os estandes das empresas japonesas”, explicou o parlamentar, acrescentando que a princesa Mako teve mais recepção que os próprios pais. “Foi uma recepção muito calorosa. Nós achamos que ela é até simples demais. Cumprimentou a todos que estavam na fila e foi muito gentil. Gostamos muito de Sua Alteza Imperial. Para nós foi uma honra recebê-la neste evento que promovemos, diria que até grande para nós do Paraná. Comemoramos os 110 Anos da Imigração com dignidade. Valeu muito a pena. Todos estão super satisfeitos, ainda mais com a presença da princesa Mako. Foi fantástico”, comemorou Luiz Nishimori, que repondendo a outra pergunta do Nippak sobre o que mais se destacou na princesa, não hesitou em falar: “Simpatia e simplicidade. A princesa Mako representou dignamente a Família Imperial”.

FONTE : JORNAL NIPPAK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *